Em virtude da comemoração de seus 10 anos de atividade em 2014, a Editora Faísca Publicações lançou três novos títulos que muito contribuem para o anarquismo no Brasil. Segue abaixo a descrição dos três livros já lançados.

Para adquirir os livros, é possível entrar em contato com a Faísca ou com a Cooperativa Jataí (jataicoop@gmail.com).

10710738_915925381770114_2274334816757308777_n

Título: Os Revolucionários Ineficazes de Hobsbawn – Reflexões Críticas de sua Abordagem do Anarquismo
Autor: Rafael Viana da Silva
Ano: 2014
Páginas: 80

Neste livro, o autor reflete criticamente sobre a abordagem que Eric Hobsbawm realiza do anarquismo em seu livro Revolucionários. Contextualizando a produção do historiador marxista, Viana da Silva demonstra que suas posições, que consideram o anarquismo um fenômeno individualista e pré-político, não possuem qualquer respaldo na história. Tratam-se, mais acertadamente, de afirmações sem lastro historiográfico que visam combater o anarquismo.

10494704_915925648436754_2097912837977759529_n

Título: Negro e Vermelho – Anarquismo, sindicalismo revolucionário e pessoas de cor na África Meridional nas décadas de 1880 a 1920
Autor: Lucien van der Walt
Ano: 2014
Páginas: 104

O presente livro examina a história inicial do anarquismo e do sindicalismo revolucionário na África do Sul, uma sociedade colonial que se industrializou no final do século XIX, e nos arredores da região sul-africana. A África do Sul era caracterizada, nessa época, por um movimento sindical militante, mas que era dividido nacional e racialmente, e pela opressão nacional das pessoas de cor, que constituíam a maioria da população. Em oposição à opressão nacional e à segregação, mas também assumindo uma posição crítica ao nacionalismo africano e de cor, os anarquistas e os sindicalistas revolucionários desenvolveram uma análise da opressão nacional cada vez mais sofisticada, recrutaram e treinaram um quadro multirracial, formaram sindicatos gerais pioneiros e revolucionários entre as pessoas de cor e continuaram a influenciar o movimento regional de trabalhadores, brancos e negros, e a esquerda, em geral, após a formação do Partido Comunista da África do Sul (South African Communist Party – CPSA) em 1921.

10696334_922484647780854_4697404714506178716_n

Título: A destruição do Leviatã: críticas anarquistas ao Estado
Autor: João Gabriel da Fonseca e Marcos Ataides (org.)
Ano: 2014

Já está disponível para a compra um novo título em comemoração aos 10 anos da Faísca. Este livro é fruto de múltiplas mãos: todas elas insurgentes e debatem o papel do Estado. Aqui, o leitor, poderá encontrar reunidos as análises de Fabrício Pinto Monteiro sobre a obra de Proudhon; de Felipe Corrêa sobre Bakunin; de Deivid Carneiro Ribeiro sobre Malatesta; além dos organizadores Marcos Ataides e João Gabriel sobre as obras, respectivamente, do russo Piotr Kropotkin e do francês Élisée Reclus. Além destes textos estruturantes, essa coletânea contém um Prefácio de Alexandre Samis e um texto introdutório de Rafael Saddi.

Por conseguinte, “A destruição do Leviatã: críticas anarquistas ao Estado” é mais do que um documento teórico e analítico, ele é prático e está nas mãos do leitor com um objetivo renovador e atual ao discutir a função e as críticas ao Estado feito por alguns renomados anarquistas da história.

– PREFÁCIO – Alexandre Samis
– INTRODUÇÃO – Rafael Saddi
– PIERRE-JOSEPH PROUDHON: CRÍTICAS AO ESTADO E PROPOSTAS DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL – Fabrício Pinto Monteiro
– A LÓGICA DO ESTADO EM BAKUNIN – Felipe Corrêa
– DA SUA FUNÇÃO HISTÓRICA À SOCIAL: O ESTADO PARA ERRICO MALATESTA – Deivid Carneiro
– ESTADO E REPRESENTAÇÃO EM PIOTR KROPOTKIN – Marcos Augusto Marques Ataides
– O ESTADO EM ÉLISÉE RECLUS: EVOLUÇÃO, REVOLUÇÃO E ANARQUISMO – João Gabriel da Fonseca